A importância das montanhas se expressa pela decisão dos 158 países que assinaram a Convenção da Diversidade Biológica, de considerar montanhas como um ponto focal e estratégico para a conservação da biodiversidade. Esta grande importância foi demonstrada nos conceitos de evolução e especiação e avançou com a teoria de biogeografia de ilhas, ampliando a visão sobre centros de endemismos, fragmentação de habitats e importância para a conservação. Montanhas são consideradas ecossistemas prioritários para pesquisas científicas por diversas instituições no mundo. Na América do Sul, o conhecimento sobre a diversidade de montanhas, se concentra nos estudos de trechos dos Andes (Páramos), principalmente na Bolívia, no Peru, e no Escudo das Guianas (Venezuela, Guiana, Suriname e Guiana Francesa). No Brasil, os principais estudos concentram-se no bioma Mata Atlântica, junto à cadeia costeira da Serra do Mar, e no bioma Cerrado, na Cadeia do Espinhaço. Por outro lado, é sabido que o conhecimento da biodiversidade das regiões montanhosas da Amazônia brasileira ainda é incipiente. Assim, o Projeto aqui apresentado visa ampliar o conhecimento da flora destas áreas, gerando listas de espécies, considerando que o conhecimento das espécies é um elemento básico para programas de manejo e conservação, indicando táxons raros e endêmicos, além de novas ocorrências em território brasileiro. Serão realizadas coletas nas áreas de alta diversidade biológica segundo as recomendações do Ministério do Meio Ambiente (Pico da Neblina, Serra do Aracá, Serra da Mocidade e Monte Caburaí). O material testemunho será incorporado ao herbário RB e principais herbários da Amazônia. Além disto, serão coletadas amostras para o Banco de DNA e para as coleções vivas do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Os resultados obtidos serão disponibilizados através de relatórios, banco de dados do JBRJ, apresentação em eventos científicos e publicações em revistas científicas.

Objetivos

• Inventariar áreas de alta diversidade biológica em regiões montanhosas da Amazônia brasileira;
• Elaborar listas preliminares de espécies para as regiões montanhosas da Amazônia brasileira, considerando que o conhecimento dos táxons é um elemento básico para programas de manejo e conservação.
• Indicar espécies raras, endêmicas e novas ocorrências para o território brasileiro;
• Descrever e publicar espécies novas que porventura apareçam;
• Obter material testemunho da flora das montanhas da Amazônia brasileira, para o herbário, Banco de DNA e coleções vivas do Jardim Botânico do Rio de Janeiro;
• Disponibilizar os resultados através de relatórios, banco de dados, eventos científicos e publicações em periódicos e livros.

Responsável: Marcus Nadruz

 
PRINCIPAIS RESULTADOS E PRODUTOS DE DIVULGAÇÃO

DVD Montanhas da Amazonia: em busca da flora desconhecida

Jornal O Dia / Caderno Vida e Meio Ambiente – 02/02/2014
 http://odia.ig.com.br/2014-02-02/montanhas-da-amazonia-terao-especies-estudadas.html

O Globo – 03/09/2013
 http://oglobo.globo.com/ciencia/revista-amanha/expedicao-montanhas-da-amazonia-registra-riqueza-vegetal-9801696