Tem como objetivo geral a realização de levantamentos e estudos sobre fungos em plantas e de interesse conservacionista presentes em áreas naturais ou degradadas, realizar o seu processamento através de técnicas de isolamento, identificação e acondicionamento por três diferentes métodos, além da preservação, sempre que possível, de amostras em herbários. Os métodos de preservação utilizados no Laboratório são os de Castellani (água destilada), repicagens periódicas (subculturas) e liofilização. Nesta coleção deverão ser isolados e mantidos fungos de interesse conservacionista ou fitopatogênicos de várias procedências e principalmente do Estado do Rio de Janeiro.

As principais linhas de pesquisa desenvolvidas neste laboratório são:

• Isolamento e caracterização de fungos, principalmente com relação a interesses conservacionistas;
• Estudos taxonômicos dos fungos, principalmente Basidiomicetos, do Estado do Rio de Janeiro e do Brasil;
• Desenvolvimento de ensaios para o teste de substâncias com aplicações tecnológicas;
• Estudo de fungos patogênicos de plantas nativas.

 

Principais equipamentos




Microscópios com aquisição digital de imagens, centrífugas, sistema de secagem por sublimação do gelo, capela de fluxo laminar, auto-calve, estufas, liofilizador, balanças, câmaras de germinação, computadores, banho-maria, agitadores magnéticos e placas quentes.